Salvador, um modo particular de ser universal | Jorge Khoury

A originalidade cultural, a beleza litorânea e o charme de ser uma das mais antigas cidades das Américas fazem de Salvador uma referência para o país e o mundo. Da nossa formação humana híbrida emergiu uma civilização singular, marcada por uma forma única de traduzir e incorporar valores ditados por um mundo globalizado.

Diante desse patrimônio, que precisa desenvolver-se e preservar-se, o prefeito ACM Neto orientou e estimulou a nossa equipe a promover nacional e internacionalmente o município, por meio de experiências exitosas, buscando mais possibilidades de espaços de cooperação com nível de excelência. Internamente, atuamos como um sistema articulado, pensando em projetos de promoção da cidade, através de boas práticas, e que no dia a dia implicam ações transversais, envolvendo diversos atores.

A prefeitura tem somado conquistas, fruto de iniciativas próprias, legitimadas nacional e internacionalmente, nos dando acesso a importantes plataformas de troca de experiências. Uma das mais recentes é a parceria com a Organização Social Comunitas, que inseriu Salvador no seu Programa Juntos pelo Desenvolvimento Sustentável. Plataforma voltada para o aprimoramento da gestão e dos serviços municipais através da experiência do setor privado.

Mundialmente, aderimos ao Cities Climate Leadership Group, o C-40, grupo formado por 75 metrópoles do mundo engajadas na redução das emissões de gases do efeito estufa e na mitigação dos riscos climáticos. No Brasil, além de Salvador, apenas Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo participam.

Estamos celebrando o primeiro ano de atuação na Creative Cities Network, programa da Unesco que reconhece Salvador como Cidade Criativa da Música, única no Brasil nessa categoria e a quarta na América Latina e Caribe. Intercambiamos com outras 115 cidades do mundo soluções voltadas para a economia criativa. E esse título, inclusive, é o tema do Carnaval 2017, Salvador Cidade da Música.

Ao lado de Porto Alegre e Rio de Janeiro, Salvador participa da rede internacional de 100 Cidades Resilientes. Desenvolvido pela Fundação Rockfeller, esse programa colabora para que as cidades ao redor do mundo encontrem soluções para se tornarem mais resistentes aos desafios físicos, sociais e econômicos deste século.

As águas mornas da Baía de Todos os Santos (BTS) nos deram o selo de caráter socioambiental Bandeira Azul para a Praia de Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, na Ilha dos Frades, distinção atribuída pela Foundation for Environmental Education (FEE). E a própria BTS foi anunciada membro do Clube das Mais Belas Baías do Mundo, conectando Salvador à rica rede internacional que movimenta a economia do mar.

Na edição 2016 do ranking de cidades globais, da consultoria americana A.T. Kearney, Salvador subiu quatro posições, destacando-se pela capacidade atual de atrair capital, pessoas e ideias. Saímos do 99º em 2015 para o 95º lugar em nível mundial. E, nacionalmente, ocupamos o 5º lugar ao lado de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

O desempenho de Salvador em desenvolvimento de políticas públicas bem-sucedidas com resultados concretos e mensuráveis nos deu o Prêmio Cidades Sustentáveis, concedido pelo Instituto Ethos, nas categorias Mobilidade (1º) e Saúde (2º).

Isso traduz a maturidade da gestão atual do nosso município, que está atenta à importância de identificar, captar e adequar para a cidade projetos inovadores e inteligentes, que possam impactar positivamente na realidade cotidiana dos seus cidadãos. A prefeitura entende que atuar em coletivos de cidades com proficiência fortalece a governança, projetando Salvador para o futuro ao tempo em que valoriza a sua história e cultura.

Avancemos, então!

* Jorge Khoury é secretário do Escritório Salvador Cidade-Global

Original do Correio 24h.