Plataforma Rede Juntos: lançamento reúne secretário de SP e ex-ministra para debater desafios na educação

Plataforma digital Rede Juntos é voltada para troca de experiências e aprendizagem entre gestores públicos. Evento de lançamento foi realizado no último dia 15.

IMG_5724

Para Paulo Freire, célebre educador brasileiro, “a educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo”. E para debater os desafios do tema, a Comunitas reuniu, durante o lançamento da sua plataforma digital Rede Juntos, no último dia 15, uma das maiores especialistas do mundo em políticas educacionais, Cláudia Costin, e o secretário municipal de educação de São Paulo, Alexandre Schneider. A mediação da roda foi realizada por Tatiana Klix, editora do portal Porvir, principal site brasileiro de inovação em educação.

A jornalista iniciou a conversa com a pergunta “como, em tempos de crise, trabalhar para a melhoria da educação?”. Para Alexandre, é necessário fazer uma análise do ambiente, antes da realização de qualquer trabalho, verificando projetos e contratos.

“Lidar em tempo de crise é observar que, quando a gente tem um orçamento em educação que não vai para a área fim, nós estamos prejudicando os alunos e professores. Portanto, temos a obrigação de ficar olhando o que a gente pode corrigir, o que pode gastar melhor. Um trabalho permanente de consulta e conversa, para que o plano seja de todos”, disse o secretário.

Para Costin, todo projeto realizado pelo poder público deve ter como base a “humildade” para que tenha contato e interação com a população, e também os professores da rede, pois são os principais agentes de transformação em sala de aula.

“O termo ‘juntos’ tem um significado muito interessante que reflete algo de que o Alexandre Schneider falou que é: transformações na educação não se fazem sozinhas”, observa a especialista.

O Brasil caiu novamente no ranking mundial de educação, segundos dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), em 2015. Porém, mesmo com esse resultado, Costin se mantém positiva e analisa que houve melhoras na educação, o problema é a velocidade da transformação, com o país evoluindo à passos lentos.

Para os participantes da roda, é muito importante a troca de experiência entre os municípios, porém, não adianta somente a cidade copiar ou se inspirar em outra, sendo necessário verificar e analisar o desempenho escolar local e construir ou redesenhar projetos de acordo com o ambiente.

“A primeira coisa é a gente entender o que a cidade tem que ensinar aos seus alunos, como avaliar se aprenderam ou não, como o professor tem que ser formado para ensinar aquilo que é um direito dos alunos? Acho que esse é um exercício que os secretários de educação têm que fazer, que vai levar a uma melhoria”, finaliza Schneider.

Juntos pela educação

Costin adverte das dificuldades, como manter o aluno com presença frequente na escola e a falta de participação dos pais dentro do processo educacional. Visando fortalecer essa relação, o Programa Juntos apoiou o projeto Coordenadores de Pais, iniciativa da Fundação Itaú que foi implementada em sete escolas municipais de Santos. O objetivo da ação é estimular a participação dos pais na vida escolar dos alunos, em especial em comunidades de maior vulnerabilidade econômica, que resulta na melhoria do aprendizado e redução da evasão escolar.

Em Paraty, o Juntos apoiou a formulação do Plano Municipal de Educação, a partir de um amplo processo participativo, criando as bases para a implementação da política educacional da cidade pelos próximos 10 anos. Na cidade, houve também o processo de requalificação da merenda escolar, garantindo alimentação equilibrada e saudável, incorporando produtos locais.

 

Cadastre-se e acompanhe a agenda de novos conteúdos: juntos.plurall.net