Comunitas + FGV | Conheça alguns dos desafios e soluções propostas pelos estudantes para prefeituras do Juntos

Prefeituras de cidades do Nordeste, Sudeste e Sul do país receberam visitas de universitários, que buscaram o aperfeiçoamento da máquina pública municipal.

Após percorrerem diversas cidades do Programa Juntos, por meio de uma ação inédita, em parceria com a Comunitas, os estudantes da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) apresentaram, ontem (13), os diagnósticos finais a cerca das análises realizadas.

Custeados pela própria FGV, foram visitadas Teresina (PI), Paraty (RJ), Caruaru (PE), Petrolina (PE), Pelotas (RS) e Juiz de Fora (MG). Nas cidades, os estudantes foram divididos em grupos e tiveram a oportunidade de conversar com gestores públicos – secretários, prefeitos e assessores, conhecendo mais detalhadamente os processos e fluxos de uma gestão pública municipal.

As analises resultaram em relatórios, que foram apresentados para uma banca formada por Fernando Abrúcio, Fernando Burgos e Maria Alexandra Cunha – especialistas da própria FGV, além de secretários e servidores municipais – presentes pessoalmente e, também, em tempo real por meio da plataforma Rede Juntos. Os trabalhos foram analisados de acordo com a qualidade e aplicabilidade das ideias.

O objetivo da iniciativa é permitir que os estudantes contribuíssem para a municipalidade e aprendam com os gestores sobre o dia a dia da função, resultando numa análise da administração municipal e propostas de soluções com foco no aprimoramento da gestão pública.

“Estamos entusiasmados com essa parceria inovadora entre a Comunitas e a FGV, uma instituição com excelência reconhecida nacionalmente, pois apoiará no aprimoramento da gestão pública, pilar essencial para a Comunitas, sem que haja qualquer custo financeiro para a administração municipal. Essa iniciativa é importante, pois fortalece a rede Juntos e engaja os gestores e a academia na troca de conhecimentos, visando uma gestão pública cada vez mais eficaz, resultando na melhoria dos serviços públicos para a população brasileira”, destaca Regina Esteves de Siqueira, diretora-presidente da Comunitas.

 

 

Propostas

Cada grupo produziu um documento de aproximadamente 50 páginas – onde levantaram os três principais desafios para a gestão e estabeleceram, para cada desafio, uma solução por meio de propostas de Plano de Ação Setorial.

Para os alunos responsáveis por Pelotas, os maiores desafios enfrentados pela prefeitura estão relacionados à capacitação dos servidores para a utilização de ferramentas de tecnologia da informação (TI) e a gestão do conhecimento. Entre as sugestões apresentadas, está a realização de oficinas de capacitação para os servidores; a informatização dos serviços públicos, visando aproximá-los à população com mais facilidade; e a realização de pesquisas de avaliação sobre a plataforma Programa de Gestão Estratégica (Proges), ferramenta de uso contínuo que possibilita o acompanhamento e o monitoramento de todos os projetos municipais – desenvolvida em parceria com o Juntos.

“Quero dizer que fiquei positivamente impressionada. Além de levantar situações, o grupo também apontou soluções”, exclamou Paula Mascarenhas, prefeita de Pelotas.

Em Juiz de Fora, os estudantes verificaram entre os desafios, a baixa qualificação profissional do público vulnerável, o aumento do desemprego e a falta de engajamento dos atores escolares. Como propostas de solução, está o oferecimento de benefícios fiscais para empresas que realizarem cursos de qualificação profissional, e o estímulo da participação dos alunos nas propostas de soluções para desafios na escola, promovendo uma gestão democrática.

Para Abrúcio, com Juiz de Fora abaixo das metas estabelecidas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), também é necessário que as ações no ambiente escolar sejam voltadas para o alcance das metas, estabelecendo o diretor da escola como um gestor e do professor como fomentador de conhecimento.

Na capital piauiense, os universitários verificaram uma pasta de Saúde com altos gastos devido à grande demanda em acidentes de trânsito, principalmente com motos. Propuseram como solução, uma maior comunicação entre as secretarias de Transporte e Saúde de Teresina, para que haja análise quantitativa e qualitativa dos dados, resultando em ações educativas e de fiscalização. Constataram também a dificuldade no uso do SIMAPP, sistema eletrônico de monitoramento de ações e projetos que são executados pelo executivo municipal, sendo necessário ações para estímulo do preenchimento da ferramenta por parte dos servidores.

Presente na apresentação, o secretário de Planejamento e Gestão, Washington Bonfim, considerou a iniciativa muito interessante, pois facilita o monitoramento dos gestores e diretores públicos, auxiliando, inclusive, o acompanhamento dos projetos por parte do prefeito.

Para a cidade conhecida como “Princesa do Agreste”, os alunos constataram a dificuldade do acesso da população aos serviços públicos. Para eles, como solução seria a subdivisão de Caruaru por territórios, delimitando os serviços em cada, dando acessibilidade para os moradores da região.

“Em Caruaru, os alunos conversaram com secretários e técnicos. Visitaram escolas, UBSs, CRAS e CREASs, acompanhando também a agenda da prefeita Raquel Lyra. Discutiram bastante sobre os desafios que eles apresentaram, quebrando a cabeça pensando em boas soluções”, disse Morgana Krieger, supervisora do grupo responsável pela cidade pernambucana.

Em Petrolina, com objetivo de estabelecer a cidade como um grande polo de negócios, os estudantes propuseram incentivos fiscais para que empresas, principalmente de regiões vizinhas, instalem-se no município. Notaram também, que, mesmo com um corpo gestor forte, há falhas na gestão de conhecimento, sendo necessária uma melhor interlocução entre as secretarias e órgãos municipais, na tentativa de conservar o conhecimento de forma mais perene.

Já em Paraty, focando na cidade como polo turístico, os estudantes sugeriram a criação de uma ficha cadastral para os turistas, com intuito de analisar perfis e desenvolverem projetos mais específicos para o público da cidade. Também indicaram a digitalização de todo sistema de saúde, permitindo uma maior integração dentro do órgão.

Relatórios disponíveis na Rede Juntos

Todos os diagnósticos, com os desafios verificados pelos estudantes da FGV, bem como as propostas de solução, serão disponibilizados, em completo, na Rede Juntos – plataforma digital de troca de conhecimento em gestão. Com o objetivo de ampliar, ainda mais, a Rede Juntos é um espaço de troca entre administradores públicos, reunindo conteúdo especializado em gestão pública.